Artesanato de tradição: um pouquinho de Sergipe para levar pra casa

Olá pessoal!

Às vésperas do feriadão do Dia do Trabalhador, Aracaju já começa a receber alguns dos seus turistas. Gente de todos os lugares do país vem em busca de um lugar tranquilo e sossegado para aproveitar o fim de semana prolongado. Curtir as praias, passear pelos parques ou apenas descansar no Celi Hotel, seja qual for a programação, ao final da viagem, todo mundo quer levar uma “lembrancinha” do lugar. E as opções são as mais variadas: esculturas em madeira, biscuits em forma de Caju, camisetas com estampas divertidas… mas uma das coisas mais tradicionais e autênticas de todo o estado de Sergipe é o artesanato em renda.

A renda irlandesa é o grande destaque na produção de renda em Sergipe

A renda irlandesa é o grande destaque na produção de renda em Sergipe

E aqui em Sergipe, você vai encontrar os mais variados tipos de renda, a depender da região do estado onde ela seja produzida. Esta é uma curiosidade que poucas pessoas sabem. Na verdade, a produção da renda tornou-se uma característica e uma identidade para a região onde ela surge; e isto faz com que a produção seja ainda mais autêntica. É o caso da renda irlandesa. Ela transformou-se num dos artigos mais preciosos do estado e ganhou tamanho reconhecimento que o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) catalogou o processo no livro de Registro de Saberes; denotando a importância deste processo no artesanato nacional.

Com isso, a cidade de Divina Pastora passou a ser ainda mais conhecida e visitada, afinal ela é a responsável por grande parte da produção da renda irlandesa no estado de Sergipe, tornando-a numa das maiores expressões do artesanato local. Por isso, nada melhor do que um produto de alta qualidade, singular e que traduz a essência do trabalho artesanal sergipano para você guardar um pedacinho do nosso estado.

Tudo bem o nome ser “irlandesa” e não “sergipana”, afinal essa técnica de rendado nem mesmo surgiu na Irlanda: foi na Itália, no século XV, que se iniciou a produção das primeiras peças com esta identidade; posteriormente, a técnica foi repassada às missionárias irlandesas, que difundiram a produção da renda na Europa. Já aqui em Sergipe, mais precisamente na cidade de Divina Pastora, a renda veio através do imigrantes italianos, durante o período de colonização. Aqui, a renda é caracterizada pelo uso de lacê, um cordão sedoso, e manipulado cuidadosamente com linha e agulha, fazendo com que o produto final seja ainda mais sofisticado, seja ele um simples pano de copa, um belo vestido ou uma colcha, que vai deixar seu quarto bem mais bonito.

A produção da renda de bilro exige técnica, paciência e dedicação, e é  destaque no município de Poço Redondo

A produção da renda de bilro exige técnica, paciência e dedicação, e é destaque no município de Poço Redondo

Já em Poço Redondo, o destaque é para a renda de bilro: sua delicadeza confere ainda mais beleza para estes produtos. Difundida no semi-árido sergipano durante o século XVIII pelos portugueses que aportaram na região, esta técnica utiliza-se de um instrumento característico, o “bilro”, que é um pequeno pino de madeira. Vários bilros são presos a uma base almofadada – que é marcada com agulhas, para delimitar os desenhos da renda – e trançam as linhas amarradas a eles, criando formas em meio ao barulhinho bom do toque dos bilros. Um trabalho de habilidade e concentração, que é produz verdadeiras obras de arte.

Além destes, existem dezenas de outros locais que produzem estes e outros tipo de renda: na Barra dos Coqueiros, a renda de filé, tradicionalmente alagoana, também é muito produzida e consumida por locais e turistas. A renda tipo Renascença, uma renda de agulha tal como a renda Irlandesa, é facilmente encontrada no interior sergipano, principalmente na cidade de Japaratuba. Em todo o Sergipe, a cultura da renda é tão forte que em vários municípios é comum encontrar associações, cooperativas ou comunidades organizadas na produção deste tipo de artesanato. Afinal, os investimentos feitos tem gerando uma melhoria no orçamento familiar de grande parte dos envolvidos. Existem famílias que se mantém há gerações através dos trabalhos desenvolvidos com o artesanato de renda.

E não se preocupe: mesmo que você passe poucos dias em Aracaju e não possa ir a uma dessas cidades para comprar uma bela peça de renda, existem diversos centros de cultura e artesanato na capital onde as peças podem ser encontradas. É só escolher a sua preferida e investir em um produto que é muito mais que uma simples “lembrança”; é uma verdadeira obra de arte autenticamente sergipana. Esperamos que aproveitem estas informações para conhecer um pouco mais das tradições sergipanas, afinal, o artesanato é uma delas. Comente, critique ou mande sua sugestão. Queremos descobrir o que você deseja saber sobre Sergipe para que este seja o seu próximo destino.

Confira abaixo alguns dos locais onde você pode encontrar opções de peças de artesanato em renda na capital sergipana:

Centro Centro de Arte e Cultura J. Inácio, Orla de Atalaia;

Mercado Municipal, Centro Histórico;

Centro de Artesanato Chica Chaves, Orla do Bairro Industrial;

Centro de Turismo, Praça Olímpio Campos;

Feirinhas da Praça Tobias Barreto, aos domingos;

Passarela do Artesão, Orla de Atalaia – diariamente das 16 às 23h.

Fotos: site Turismo Sergipe e Infonet.

Anúncios

Sabores do Celi Hotel

Olá, pessoal!

Mais um feriadão chegando e muita gente já se prepara para vir a Aracaju e passar um fim de semana tranquilo, descobrindo as belezas de Sergipe, hospedado conosco no Celi Hotel. Aqui no blog, já deixamos diversas dicas de roteiros para você preparar sua viagem e planejar todas as suas atividades, a fim de conhecer alguns dos principais pontos da cidade e do estado, conhecer nossa gente, nossa cultura e gastronomia. Por falar neste assunto, – e isso serve para turistas e aracajuanos – que tal um almoço ou um jantar diferenciado neste feriadão, degustando o melhor da gastronomia regional e internacional no restaurante Maramar? Pois é, nosso restaurante possui um cardápio diversificado, serviço especializado e a vista da orla de Atalaia, um privilégio para quem gostar de comer bem e num bom lugar.

O Restaurante Maramar fica nas dependências do Celi Hotel, possui cardápio variado e qualidade em atendimento

O Restaurante Maramar fica nas dependências do Celi Hotel, possui cardápio variado e qualidade em atendimento

Nossos hóspedes costumam saborear o café da manhã nordestino com algumas delícias típicas, como a tapioca recheada feita na hora, que é um verdadeiro sucesso! Mas o Maramar tem muito mais a oferecer: aberto também para almoço e jantar todos os dias da semana, o restaurante que fica nas acomodações internas do hotel é um dos mais tradicionais do estado e  já é conhecido pelos aracajuanos como um local para encontros de negócios, almoços em família ou jantares para celebrar ocasiões especiais. Seja qual for o motivo e para todos os paladares, o Restaurante Maramar possui a opção ideal para uma refeição incrível.

Então, que tal uma sugestão? O Escondidinho ao Velho Chico, recheado com carne seca, é uma delícia da culinária local e que você pode experimentar aqui. Excelente opção para o almoço após a manhã de praia ou de comprinhas num dos centros de artesanato da cidade. Se preferir uma dica para o jantar, a Picanha À Osvaldo Aranha acompanha farofa de banana com bacon, arroz e fritas, que vão te servir muito bem após um dia inteiro de muito lazer. Se preferir algo mais leve, opções de cremes e sopas também estão disponíveis no cardápio. Tem para todos os gostos! E um atrativo que é um diferencial: a vista em deck para a Orla de Atalaia, o que faz desta refeição um momento ainda mais especial.

O Escondidinho ao Velho Chico é a opção ideal para quem deseja saborear um prato da culinária regional sem precisar sair do hotel

O Escondidinho ao Velho Chico é a opção ideal para quem deseja saborear um prato da culinária regional sem precisar sair do hotel

Para nossos hóspedes, a vantagem é ainda maior, afinal, alguns dos pratos servidos no restaurante também estão no menu do Room Service. Assim, se você chegou tão cansado que não teve coragem para descer até o restaurante para sua refeição, opções como a Pescada à Ibiza e o Paillard de Frango, estão à sua disposição com a mesma qualidade e o atendimento encontrado no restaurante.

Bom, já estamos na hora do almoço e, se você já está por aqui em Aracaju, sugiro não perder mais tempo e experimentar nossas delícias. O Restaurante Maramar fica dentro do Celi Hotel Aracaju, na Orla da praia de Atalaia, e está aberto até às 15h para o almoço; e, das 18h30 às 22h, abrimos para o jantar. Depois, é só deixar um comentário com sua avaliação sobre nosso restaurante: a comida, o serviço, o atendimento… o que desejar. Estamos sempre melhorando para atender aos nossos clientes e hóspedes com o máximo em qualidade.

Esperamos você no Celi Hotel e no Restaurante Maramar!

Conheça Xingó de Avião!

A-ha! Quem já veio para Aracaju, se hospedou no Celi Hotel e visitou o Cânion de Xingó sabe que é um dos passeios mais bonitos de Sergipe. O local atrai milhares de turistas por ano e é comum encontrar empresas de receptivo que fazem este trajeto diariamente em vans ou micro-ônibus que percorrem aproximadamente 200KM partindo de Aracaju até a cidade de Canindé, onde se localiza este paraíso natural. O lugar é de uma beleza incomparável: águas verdes cortam paredões rochosos com vestígios de vegetação da caatinga comum ao sertão sergipano. Um cenário que, de tão encantador, tornou-se obrigatório para quem vem à Sergipe e o maior cartão postal do estado.

O avião que faz o translado até Xingó é o mesmo que transporta as celebridades à Ilha de Caras

O avião que faz o translado até Xingó é o mesmo que transporta as celebridades à Ilha de Caras

Mas a novidade é que, desde o mês de Março, é possível chegar até esse paraíso de avião! Pois é, a viagem agora dura cerca de 40 min e com o “plus” de poder sobrevoar a área e ver de cima toda a imensidão do Rio São Francisco. E para quem preferir chegar à Canindé pelos ares, o pacote ainda inclui o tradicional passeio de catamarã pelo cânion, trilha pela rota do sertão e almoço no tradicional restaurante Karanca’s. Outra excelente opção de passeio é a Fazendo Novo Mundo, que guarda em seu acervo arqueológico pinturas rupestres e formações rochosas de mais de 8 mil anos, em meio à trilha na vegetação da caatinga. Se depois disso tudo você ainda estiver com disposição para um city tour, visite a cidade de Piranhas/AL, que fica do outro lado do rio, possui ar bucólico e uma bela vista panorâmica do Velho Chico.

Vista aérea do Cânion de Xingó

Vista aérea do Cânion de Xingó

O vôo para Xingó sai diariamente do aeroclube de Sergipe às 8h da manhã, retornando para Aracaju às 16h50. O translado aéreo será feito por um avião Grand Caravan CCO8 – B/EX e pode levar até 09 pessoas por viagem. A Nozestur, uma das empresas parceiras do Celi Hotel, comercializa este pacote aéreo. E, se com todas essas facilidades você ainda está se perguntando porque ir até Xingó, não se preocupe! Nosso próximo post vai te falar e mostrar mais deste lugar. Por enquanto, se tiver alguma dúvida ou quiser mais alguma informação, deixe seu recado nos comentários. Estamos sempre disponíveis para te ajudar a escolher sua próxima viagem e definir Sergipe como seu destino! Temos muito para mostrar e encantar você!

Fotos: site da Secretaria de Turismo de Sergipe

Por que o Celi Hotel?

Olá pessoal!

Feriadão de 21 de abril, o Celi Hotel recebendo vários hóspedes, mas você que não pode aproveitar esta folga já está pensando na próxima oportunidade, não é mesmo? Já comprou sua passagem? Planejou sua viagem? Está vindo para SERGIPE? Ah, então este post foi feito para você. Afinal, depois da definição do local para onde se vai viajar, passagem e hospedagem são os primeiros itens da lista de “coisas à fazer”. E como tudo hoje por ser feito através da internet, estamos cada dia mais expandindo a nossa presença on-line para fazer com que você tenha sempre o máximo de informações sobre Sergipe e sobre o Celi Hotel.

O Celi Hotel Aracaju está localizado na Orla de Atalaia, belíssimo cartão postal da cidade

O Celi Hotel Aracaju está localizado na Orla de Atalaia, belíssimo cartão postal da cidade

Mas, conta pra gente: o que você procura num hotel em seus viagens? Conforto, bom atendimento, estrutura ou localização? Bom, seja qual for o principal item que deseja para sua hospedagem fora de casa, um depoimento de alguém que já esteve no local é sempre bem-vindo, não é? E com o advento das redes sociais, o “boca-a-boca” agora é digital! Por este motivo, várias empresas que trabalham com turismo investem em depoimentos de clientes. Por este motivo, neste post, não somos nós que vamos falar sobre o Celi Hotel, mas os nossos hóspedes, através de depoimentos feitos nos mais diversos canais de relacionamento on-line e off-line também.

Vamos começar então pelo Facebook. A rede sociais que mais cresce no Brasil possui algumas opções de avaliação em nossa fan-page. O ranking  de classificações com 4.3 estrelas não deixa dúvidas com relação à avaliação feita pelo Ministério do Turismo que classificou o Celi Hotel como um 4 estrelas, dentro dos rígidos padrões estabelecidos pela instituição de reconhecimento internacional. O Anderson Belarmino foi um dos nossos hóspedes que deu classificação máxima no Facebook para sua hospedagem conosco. “Sou um viajante nato! Estive no Celi Hotel e fui muitíssimo bem atendido. Os serviços prestados e a ÓTIMA (sic) limpeza do hotel torna o Celi melhor que muitos hotéis do exterior. Com toda certeza, quando eu retornar à Sergipe repetirei a hospedagem” afirma Anderson em seu depoimento. Já no Instagram, mais que os depoimentos, você vai encontrar imagens de hóspedes que, como a Cláudia Ávila, do Rio de Janeiro, amaram Aracaju e o hotel. “Simplesmente amamos Aracaju e nos apaixonamos pelo Celi Hotel que nos proporcionou 4 dias perfeitos com muita comodidade, capricho e receptividade”, conclui Cláudia.

Cláudia e o esposo durante sua hospedagem no Celi Hotel Aracaju

Cláudia e o esposo durante sua hospedagem no Celi Hotel Aracaju (Foto: Instagram)

Declarações como esta nos enchem de felicidade, afinal, nosso atendimento é um diferencial conquistado ao longo dos anos e que preservamos com grandioso esmero. Mas, se você não possui conta em redes sociais, não tem problema, você pode conferir mais depoimentos em sites como o Ketanto, o TripAdvisor, entre muitos outros. Num deles, o Ênio, de Curitiba, dá detalhes de sua hospedagem conosco. ” Trata-se de hotel com decoração agradável e limpo. Possui excelente localização em frente da praia de Atalaia, próximo aos bons restaurantes (à la carte e por quilo), lanchonetes e atrações da orla (como Oceanário e Mundo Maravilhoso da Criança). No hotel, existe piscina, sala de brinquedos e cozinha para preparação da alimentação de bebês e crianças. O café da manhã estava saboroso com boa variedade de frutas, doces, pães, sucos etc. O atendimento foi excelente, destacando a limpeza do quarto e a cortesia de bombons após sua arrumação. O wifi estava incluso no valor da diária e permitiu bom acesso à internet. (…) Eu, minha esposa e filha de 4 anos hospedamos em março de 2015, durante 5 dias, e ficamos satisfeitos.” Assim, como este, você pode encontrar muitos outros depoimentos.

Alguns destacam a estrutura dos quartos, outros preferem o atendimento, outros ainda acreditam que o melhor do hotel é a localização. É comum encontrar depoimentos de pessoas como a Ayana, que viu a Baby Copa como um diferencial que valorizou o hotel durante sua viagem com o filho: “adorei o hotel ter uma copa baby, foi fundamental para nós que levamos comida congelada para meu filho!! Excelente!! O café da manhã ótimo, os funcionários muito educados e atenciosos!!”. O café da manhã é sempre um item de muito destaque e que agrada positivamente a maioria dos nossos hóspedes, por ter a possibilidade de degustar tapiocas e omeletes feitos na hora. “Destaca-se no café da manhã a tapioca e omelete feitos na hora e à moda do visitante” afirma Daniel, de São Paulo. A Bárbara Andrade ratifica o depoimento do Daniel: “O café da manhã é super farto, com direito a tapioca e omelete feitos na hora, além de um Buffet completo de frutas, pãoes, bolos, etc. (…) Super recomendo!”.

A tapioca recheada é um dos itens do café da manhã mais desejados pelos nossos hóspedes

A tapioca recheada é um dos itens do café da manhã mais desejados pelos nossos hóspedes

Como estas, você vai encontrar na internet muitas avaliações feitas por nossos clientes. Aqui, destacamos apenas algumas e sobre alguns determinados aspectos. Mas, se você acha que ainda não respondemos à pergunta do título deste post, hospede-se conosco e descubra por que hospedar-se no Celi Hotel. Esperamos que, num próximo post, seu depoimento apareça entre estes aí em cima, ou você já pode deixá-lo abaixo, entre os comentários. Estamos sempre prontos para te ouvir e melhorar cada dia mais. É o feedback dos nossos hóspedes que nos faz melhorar continuamente e é por vocês que fazemos isto! Então, te esperamos por aqui. Até breve!

Feriadão? Tempo para viajar!

“Viajar é trocar a roupa da alma” já dizia o poeta Mário Quintana. E, a cada dia que passa, mais pessoas vem aderindo como “filosofia” a frase deste imortal e aproveitando todas as oportunidades para sair de casa, conhecer novos destinos e viver novas experiências. Você está com pouco tempo? Então, aproveito um feriadão para curtir sua próxima viagem. Este ano, teremos diversos feriados nacionais prolongando os finais de semana. Uma excelente oportunidade para fazer as malas e partir para conhecer um novo destino.

Xingó é um dos destinos mais procurados em Sergipe

Xingó é um dos destinos mais procurados 

O Brasil é repleto de lugares lindo e pouco explorados. Sergipe vem despontando no cenário nacional como um destino a ser descoberto. Muita cultura, belezas naturais, um clima ameno e uma gente calorosa e receptiva, o estado tem crescido e se mostrado cada vez mais, ratificando sua vocação turística. Então, que tal se programar para passar o próximo feriadão aqui em Aracaju? A cidade foi considerada a capital da qualidade de vida e encanta a todos que a conhecem por sua tranquilidade e beleza. Além dos diversos pontos turísticos espalhados pela cidade, e que vão agradar a pessoas de todas as idades, você pode ainda visitar cidades circunvizinhas, como Laranjeiras e São Cristóvão) ou ir até Xingó e conhecer o “oásis do sertão”, como é conhecido o 5º maior cânion navegável do mundo. Enfim, são diversos roteiros para você aproveitar intensamente os seus dias em terras sergipanas.

Agora, o hotel, você já sabe, né. O Celi Hotel está pronto para te receber! Localizado na Orla de Atalaia, principal cartão-posta da cidade, dispomos de apartamentos com vista mar, estrutura moderna e decoração regional, para você se sentir em casa quando chegar à Sergipe. Além disso, nosso atendimento de qualidade já se tornou referência na hotelaria local e marca registrada para os nossos hóspedes.

Então, que tal uma lista com os próximos feriados para você se programar?

– 21 de Abril / Tiradentes: estamos às vésperas! O feriado será na terça-feira mas muitas pessoas vão “enforcar” a segunda; de modo que terão 4 dias de folga e isso é tempo de sobra para uma viagem relax. Se você ainda não sabe o que vai fazer no feriadão e mora aqui pelo nordeste, que tal vir de carro para Sergipe. Em estamos como Bahia, Alagoas, Pernambuco e até na paraíba, a viagem dura algumas horas e você pode aproveitar o trajeto para conhecer algumas das principais cidades do interior antes de chegar à Aracaju. Dica ótima de roteiro para deixar a viagem menos cansativa e mais proveitosa.

Aproveite o feriadão do dia do trabalhador para conhecer Aracaju e o Celi Hotel

Aproveite o feriadão do dia do trabalhador para conhecer Aracaju e o Celi Hotel

– 1º de Maio / Dia do Trabalhador: estamos há 15 dias deste feriadão que vai cair numa sexta-feira. Então, se você ainda não se organizou, aproveite que ainda dá tempo. Se conseguir ficar em Aracaju de sexta à domingo, vai conhecer bem a cidade e ainda relaxar à beira mar, ou na piscina do Celi Hotel. 😉

– 04 de Junho / Corpus Christi: este é outro feriado que cai num dia de quinta-feira, mas que muita gente vai emendar com o fim de semana. Então, se você não puder aproveitar os dois anteriores, programe-se para vir à Sergipe neste feriadão. Além dos passeios habituais, você poderá aproveitar as belezas do período junino que deixam a cidade muito mais colorida e recheada de sabores típicos. O São João começa cedo por aqui e, com certeza, vai ser uma experiência muito agradável vivenciar as tradições juninas no estado que foi apelidado de “país do forró”, tão grandiosa é esta festa por aqui.

Não perca esta oportunidade de trocar a roupa da alma e aproveitar muito mais os seus dias de descanso e lazer. Viaje mais, conheça novos lugares e descubra Sergipe. Oportunidades não vão lhe faltar! E o Celi Hotel Aracaju está à sua disposição para fazer desta a sua melhor estada!

Propriá: princesinha às margens do Velho Chico

Olá! Nosso novo post será o último da série que fala sobre as cidades do interior sergipano que dão nome aos espaços de evento do Celi Hotel. E se você foi curioso e resolveu entrar lá em nosso site para conferir sobre qual cidade seria a nossa postagem de hoje, já sabe que se trata de… Propriá! Então, vamos conhecer mais sobre essa pequena cidade, conhecida como ” a princesinha do São Francisco”.

Vista da cidade de Propriá pelo Rio São Francisco

Vista da cidade de Propriá pelo Rio São Francisco

Das cidades que comentamos nos posts anteriores, Propriá é a que está mais distante da capital Aracaju: aproximadamente 100 Km ao norte.  Fazendo divisa com o estado de Alagoas, de Propriá é possível ver ao longe a cidade de Penedo/AL. Conhecida por sua historicidade, Propriá ainda mantém suas praças com coretos e boa parte dos casarios que compõem o centro histórico da cidade, remontando os anos idos do século XVII, quando uma missão jesuítica para catequização indígena fez com que as naus portuguesas aportassem nas terras que foram chamadas de “Urubu de baixo”. Ainda bem que esse nome não vingou. Não faz jus à beleza da cidade que parece emergir do próprio rio. Talvez por isso, não se sabe ao certo, quando foi elevada ao posto de Vila, a cidade passou a chamar-se Propriá.

Belíssimo pôr do sol às margens do Velho Chico

Belíssimo pôr do sol às margens do Velho Chico

E durante muitos anos, a cidade foi uma das mais desenvolvidas do estado, chegando a ocupar o posto de 2ª cidade mais rica de Sergipe. Seu comércio sempre foi muito forte e até os dias de hoje, quando a cidade já não vive mais um período de grande negócios, a área comercial ainda é o principal centro da cidade.

Apesar da força de sua história ainda estar presente na cidade, atualmente, a vocação turística de Propriá se dá exclusivamente por conta do seu visitante mais ilustre: o Rio São Francisco. O “Velho Chico”, como é chamado pelos locais, corta toda a divisa ao norte do estado e o município de Propriá fica na parte mais próxima de onde o rio deságua para o mar. O São Francisco também é responsável pela travessia entre os estados, afinal, mesmo com a ponte ligando Sergipe e Alagoas, o trajeto feito de barco até Penedo é a forma mais rápida de chegar ao município alagoano. Além disso, o passeio pelo rio rende belas paisagens e um momento de tranquilidade e contemplação, durante alguns minutos de viagem.

Procissão de Bom Jesus atrai turistas e locais para o maior evento religioso local

Procissão de Bom Jesus atrai turistas e locais para o maior evento religioso da cidade

O rio também é o cenário da principal festa da cidade: a procissão marítima de Bom Jesus dos Navegantes. Esta tradição religiosa data de centenas de anos na cidade de Propriá e atrai milhares de pessoas de municípios circunvizinhos e também da capital Aracaju; além de turistas, na busca de conhecerem as principais tradições sergipanas. A festa acontece sempre no início do mês de Janeiro e conta com uma processão de barcos que se enfeitam para seguir o padroeiro local, sempre na fé de que irá protegê-los e abençoar o rio, que é fonte de renda para dezenas de famílias locais que vivem da pesca.

Mas, se, de repente, você estar apenas de passagem por Propriá, não deixe de dar uma paradinha, mesmo que seja rápida, para comprar um dos doces locais. O doce de batata doce é um dos mais famosos da região e, como este, também outros sabores vão fazer você se deliciar com a culinária local. Com certeza, sua passagem pelo local será ainda mais doce!

E aí, gostou deste post? Gostou das informações das postagens anteriores? Quer sugerir uma pauta ou deseja informações sobre algo que não comentamos aqui? Deixe seu recado entre os comentários. Vamos te ajudar a descobrir Sergipe e fazer deste o seu próximo destino, seja de férias ou à trabalho. Sergipe é um novo destino a ser descoberto! E aqui no Celi Hotel, sua estada será ainda melhor. Esperamos por você!

Na sombra de Laranjeiras

Continuando nossa trajetória pelas cidades do interior Sergipe que dão nomes às salas e espaços de eventos no Celi Hotel, nossa próxima parada será Laranjeiras. Mas, antes de começar, é importante esclarecer que, nossa intenção em dar os nomes destas cidades aos nossos espaços de eventos tem como objetivo despertar a curiosidade daqueles que se utilizam destes ambientes para conhecerem mais sobre Sergipe. Desta forma, contribuímos com a divulgação deste locais e com o incentivo ao turismo no estado.

A ponte nova sobre o Rio Cotinguiba que, por muito tempo, foi responsável pelo desenvolvimento do município

No período colonial, o Rio Cotinguiba foi responsável pelo desenvolvimento local

E por falar em turismo, Laranjeiras tem uma vocação turística que é histórica. A cidade que recebeu este nome pela grande quantidade de laranjeiras existentes na região quando foi descoberta, dista aproximadamente 20 Km de Aracaju e, por este motivo, é fácil estender os passeios até lá. Uma das cidades mais antigas do estado, o local começou a ser povoado a partir do final do século XVI, mas apenas no século XIX foi reconhecido como um município. Durante muitos anos, os holandeses atacaram o local, para tentar dominar a região; o que fez com que o vilarejo fosse destruído e reconstruído algumas vezes, fortalecendo os proprietários das terras da região. A cana de açúcar, o plantio de coco e as criações de gados, bem como o fato de ser cortada pelo Rio Cotinguiba, fizeram prosperar o lugar, que teve ali próximo o primeiro porto do estado. Além do desenvolvimento comercial (e com ele), Laranjeiras vivenciou ainda um período de grande movimentação intelectual, e foi berço de grandes intelectuais do estado, médicos, advogados, professores, o que também contribuiu para o reconhecimento do município como berço da imprensa sergipana, por seus representantes fortes e decididos a defender os direitos do povo local.

A importância da cidade foi tão grande durante o período colonial que ela recebeu a primeira Alfândega de Sergipe, a fim de realizar as exportações de açúcar, que durante séculos foi a principal fonte de renda da região. O cultivo da cana fez com que o Laranjeiras se desenvolvesse de tal forma que dezenas de negros e índios se tornaram a principal força de trabalho escravocrata nos engenhos. O próprio rei D. Pedro II também visitou Laranjeiras com sua comitiva, para conhecer o comércio e a cultura da região, que já era reconhecida pelos saraus e banquetes oferecidos pela elite aristocrata da cidade.

O Lambe-sujo é uma das representações folclóricas mais conhecidas e apreciadas da cidade

O Lambe-sujo é uma das representações folclóricas mais conhecidas e apreciadas por locais e turistas

É, Laranjeiras tem mesmo muita história pra contar. E tudo isso é fundamental para entender muito do seu atual acervo turístico, não apenas físico mas cultural e imaterial. Afinal, o centro histórico da cidade possui dezenas de sobrados do período colonial, além do que pode ser visto no Museu Afro-brasileiro e no Museu de Arte Sacra, que é considerado o segundo mais importante do estado. Além disso, na Casa de Cultura João Ribeiro, você poderá conhecer um pouco da tradição cultural do município, que tem seu ponto alto no folclore popular.

Falando em folclore, se puder programar sua viagem, visite Laranjeiras no mês de Outubro, quando, no segundo domingo do mês, é realizado o espetáculo folclórico de Lambe-sujos versus Caboclinhos. O evento é uma representação de uma cena histórica onde índios – colonizados pelos portugueses -, que são o “Caboclinhos”, lutam contra os negros vindos da África para trabalhar nos engenhos, que são o “Lambe-sujos”. Os participantes do folguedo possuem uma caracterização de personagem, que inclui um preparo com base no mel de cabaú que eles passam pelo corpo e “batizam” as pessoas nas ruas, lambuzando a todos como numa convocação para participar do ritual. Os cortejos percorrem a cidade durante o dia mas os grupos só se encontram ao final, em praça pública, quando ocorre a “luta” que dá a vitória aos… bom, esperamos que você possa visitar a cidade e descobrir, mas a na história local, após os embates, muitos quilombos se instauraram em Laranjeiras.

A Igreja do Bomfim é uma das construções que  ficam no alto da cidade e servem como mirantes para Laranjeiras

A Igreja do Bomfim é uma das construções que ficam no alto da cidade e servem como mirantes

Achou interessante este folguedo? Você ainda não viu nada. Esta cidade que é conhecida como berço da cultura sergipana possui outras dezenas de manifestações folclóricas como o reisado, a taieira, a chegança, o São Gonçalo, o samba de coco, o samba de parelha (ou “pareia”, como é popularmente conhecido)… ufa! É realmente um passeio que encanta pelas diversas possibilidade culturais. E olha que ainda nem falamos das igrejas! Afinal, o município possui dezenas delas, muitas delas construídas na parte alta da cidade, o que garante uma belíssima vista de toda a Laranjeiras. Mas, como algumas delas não ficam dentro da cidade ou estão localizadas na zona rural, procure sempre um guia turístico para te acompanhar em suas incursões ou informações no centro de atendimento ao turista que fica no centro histórico; assim você fica tranquilo e seguro de que sua viagem e suas fotos nestes verdadeiros mirantes serão incríveis!

Se você acha que este post ficou um pouco longo, “sabe de nada, inocente”! Isto aqui é só retrata uma pequena parte do que é Laranjeiras. Para conhecer de verdade, só visitando: passeando pelas ruas, conhecendo as igrejas e participando de suas manifestações culturais. Com certeza, a viagem vai te surpreender positivamente. Ah, e se quiser saber a opinião de quem já esteve lá, encontramos na internet o relato da Sílvia Oliveira, do blog Matraqueando, com várias dicas, inclusive de como chegar na cidade. Vale a pena conferir!

Próximo post tem mais informações sobre mais uma cidade, a última desta nossa listinha. Entra no site do Celi Hotel, confira as informações sobre nossas salas de eventos e descubra qual delas será nosso próximo tema. Vamos continuar desvendando Sergipe e se você tiver alguma sugestão ou comentário, deixe o seu recado. Nosso blog quer levar até você o que precisa saber para que sua viagem à Sergipe seja inesquecível! Até breve!

Estância: o jardim do rei!

Olá pessoal!

Como falamos no post anterior, vamos fazer uma série de posts referentes às denominações dos espaços de eventos de eventos do Celi Hotel. Além dos salões, com estrutura para a realização de eventos corporativos, temos ainda o espaço Estância, uma área próximo ao restaurante Maramar, excelente para coffee-break e pequenas refeições. Este espaço, com vista para a Orla de Atalaia, leva o nome da cidade-jardim do estado de Sergipe. Um dos municípios mais conhecidos e visitados no interior, principalmente no período junino, quando a cidade se torna um grande arraial. Vamos conhecer mais sobre Estância?

Se você está hospedado no Celi Hotel e deseja fazer a viagem de carro, não vai gastar nem uma hora para chegar à cidade. Estância está localizada a aproximadamente 70 Km de Aracaju e é um passeio tranquilo e agradável, já que você pode fazer boa parte do trajeto margeando a costa. A cidade, que surgiu como capitania em 1621, foi intitulada pelo próprio Rei Pedro II de “jardim de Sergipe” por conta de sua bela flora; mas só foi elevada ao patamar de município em 1848, após deixar de ser subordinada à Vila de Santa Luzia do Real, atualmente Santa Luzia do Itanhy.

O barco de fogo e a guerra de espadas são as manifestações juninas mais conhecidas da cidade

O barco de fogo e a guerra de espadas são as manifestações juninas mais conhecidas da cidade

Atualmente, o município é mais conhecido pelos festejos juninos e por suas belas praias. Mas, pra quem curte um passeio histórico, alguns sobrados azulejados e casas com arquitetura colonial existentes no centro da cidade garantem o ar bucólico do interior e um passeio na história de Sergipe. A igreja da Paróquia N. Sra. de Guadalupe também é um belo prédio a ser visitado. Aliás, dizem que o nome da cidade advém do México, onde a mesma santa é padroeira do país. Lá, “estância” é uma propriedade de criação de gados, tal como acontecia na cidade sergipana quando foi dada como capitania ao seu fundado Pedro Homem da Costa.

E pra quem gosta de festa, Estância é uma boa opção? Com certeza, principalmente se você visitar a cidade durante o período junino. Estância é nacionalmente conhecida por uma tradição que encanta a todos, visitantes e turistas: o barco de fogo. Uma pequena embarcação feita de madeira repleta de fogos de artifício e presa em cabos de aço, cruza a escuridão da noite na cidade, impulsionada pela força dos fogos. A tradição começou em 1930 com um estanciano que teve a ideia de unir sua paixão pelo mar com a pirotecnia junina e, atualmente, a corrida de barcos de fogo atrai milhares de pessoas ao “forródromo” da cidade para conhecer um ritual exclusivamente sergipano. Mas não é só isso! A guerra de espadas de fogo também clareia a noite na cidade durante o mês de Junho e o forró pé de serra dita o ritmo da festa que dura o mês inteiro na cidade que se transforma em um grande arraial. Todas estas manifestações fazem com o que São João de Estância seja único e inesquecível para todos os visitantes.

A Praia do Saco foi considerada como uma das 100 mais bonitas do mundo

A Praia do Saco foi considerada como uma das 100 mais bonitas do mundo

Mas, e se não for São João? Além de conhecer a cidade, você conferir as belíssimas praias do município. A Praia da Boa Viagem, mas conhecida como Praia do Saco, é a mais famosa de todas: uma região de águas calmas e límpidas, que encantou aos franceses da revista “Grands Voyageurs”, que elegeram-na como uma das 100 praias mais lindas do mundo. Além dela, existem ainda alguns passeios excelentes para serem feitos na região: na Lagoa dos Tambaquis, por exemplo, você estará bem próximo a centenas de peixes; já a Ilha da Sogra fica no encontro do rio com o mar e possui água doce e salgada a depender de onde você esteja; a Ilha do Sossego não precisa nem de explicação, não é?!

Sergipe é mesmo um destino incrível a ser descoberto. Estância é uma dessas cidades que oferecem diversas opções de lazer para todos os públicos. Quando estiver em Aracaju, visite a “cidade jardim” do rei e descubra as belezas do lugar. Com certeza, você vai se encantar muito mais do que estamos falando! Nos próximos posts, continuaremos com esta mesma temática e vamos desvendar a história e as belezas de mais uma cidade sergipana. Quer saber qual é? Visite o site do hotel, confira a nossa página de Eventos, conheça o nome dos nossos salões e arrisque seu palpite sobre nosso próximo destino nos comentários. Até breve!

Fotos: site da prefeitura de Estância