O centro do Centro Histórico

Olá pessoal!

Após o carnaval, retornamos à nossa série de postagens sobre os bairros de Aracaju, para que vocês possam conhecê-los além dos tradicionais roteiros turísticos. Para quem vem à capital sergipana pela primeira vez, nossa sugestão é conhecer nossos posts sobre as possibilidades de roteiros para conhecer Aracaju de acordo com o período que for passar aqui (10 dias, 8 dias, 5 dias, 3 dias ou 1 dia). Mas se esta já é a sua segunda, terceira, quinta ou décima vez na cidade, ou se está por aqui quase sempre, seja à trabalho ou lazer, estas postagens são especialmente para você!

PRAÇA FAUSTO CARDOSO - TURISMO SERGIPE

Praça Fausto Cardoso, no coração do Centro Histórico de Aracaju (Foto: site Turismo Sergipe)

Hoje, vamos falar um pouco sobre o Centro de Aracaju, que, por conta de sua estrutura arquitetônica histórica, se transformou nos dos bairros turísticos da cidade.

– Se o bairro é turístico, seus principais locais estão entre aqueles roteiro de visita?

– Exato! Mas só os PRINCIPAIS! Tem muita coisa acontecendo no centro de Aracaju e muito que já aconteceu mas que ficou ali, num canto, e nem sempre recebe muito destaque; passando desapercebido pelos turistas.

Passeando pelas ruas do bairro, é possível encontrar memoriais, museus, construções centenárias e muito mais itens que o compõem, e remontam aos seus primórdios no desenvolvimento da cidade. Por isso, apesar de ser o centro comercial da cidade, também é conhecido como Centro Histórico. E falando sobre o assunto, vamos conhecer agora um pouco da história do bairro.

Histórico Centro

Foi em 1855, quando Aracaju recebeu o título de capital da província de Sergipe D’el Rey, que o centro passou a existir. A cidade foi a segunda capital planejada do nordeste e teve sua primeira planta desenhada de modo que os lotes fossem quadrados e sempre com a mesma medida; por isso, durante muitos anos, Aracaju ficou conhecida como “tabuleiro de xadrez do nordeste”.

598667_484021098283676_1044950391_n

Aracaju teve seu centro planejado e é conhecida como “tabuleiro de xadrez” (Imagem: blog Sergipe em Fotos)

Uma das primeiras grandes edificações da cidade neste bairro foi a Igreja São Salvador, localizada num dos calçadões do centro histórico e atualmente reformada.Na época de sua construção, o solo pantanoso e insalubre do local foi uma das dificuldades encontradas, não apenas para erguer a igreja mas toda a cidade que começa a se desenhar. Além disso, a baixa qualidade da água potável na região causou diversas doenças durante os primeiros anos de existência de Aracaju. Mas, superados os problemas iniciais, Aracaju começou a progredir, graças à zona portuária, que foi o grande filão para a troca da capital do Sergipe.

Com o passar dos anos, o comércio da região se desenvolveu e a área começou a receber dezenas de construções que deram volume ao bairro, conhecido por abrigar a elite do período. A construção da catedral metropolitana, de parques e praças, bem como o palácio do governo do estado, após a emancipação de Sergipe, fizeram o centro de Aracaju se expandir, originando bairro circunvizinhos que proporcionaram o crescimento populacional e desenvolvimentos da cidade, que hoje tem pouco mais de 160 anos de existência.

O que o Centro Histórico tem?

Para os que buscam os roteiros turísticos, o Centro Histórico é passagem obrigatória! O bairro possui um grande acervo a ser conhecido. E tem muito mais além do tradicional passeio pelos museus, pela catedral, pelos memoriais… Você tem tempo? Então, sente-se e veja a vida passar pelo centro, ou aproveite aqueles lugares pelos quais você já passou mas sempre deixou para uma próxima visita. Alguns deles ficam escondidos mas são verdadeiras pérolas!

Capela São Salvador: na verdade, a ´”igreja” é uma capela subordinada à Paróquia da Catedral Metropolitana. É a primeira igreja do centro da cidade de Aracaju e localiza-se no calçadão da Rua Laranjeiras. Apesar de ter sofrido inúmeras reformas, que mudaram um pouco da arquitetura original, a Capela São Salvador ainda conserva os detalhes que a identificam como eclética, e caracteriza algumas das construções do período. Já em 2012, a Capela de São Salvador foi declarada pelo IPHAN como Patrimônio Histórico e Artístico de Sergipe; mostrando o valor simbólico do local para os aracajuanos e sua história. Para os mais religiosos, há missa diariamente no local. Para os curiosos, visitar um patrimônio reconhecido pelo estado em meio ao centro comercial da cidade é uma oportunidade que não deve ser desperdiçada.

Música no mercado: O mercado municipal de Aracaju, composto pelos prédios dos mercados Thales Ferraz, Antônio Franco e Augusto Franco, é um dos pontos turísticos mais conhecidos do bairro. Dezenas de lojas com produtos artesanais, comidas tradicionais e itens variados podem ser encontradas no local e atrai centenas de turistas diariamente para conhecerem o que há de mais tradicional na cidade. Mas se você já conhece esta parte do mercado, te convidamos a aproveitar o seu lado musical: aos finais de semana, geralmente aos sábados, é comum encontrar grupos de samba e chorinho seja na parte interna do mercado Thales Ferraz ou na parte externa do mercado Antônio Franco. A alegria dos músicos costuma contagiar quem passa. É difícil estar no local e não parar um minuto que seja para ouvir os clássicos nacionais e regionais, entoados nas vozes com o sotaque marcado típico do local. Sente-se e aprecie a música e quem sabe até um tira-gosto.

Chorinho no Parque: seguindo a rota musical no centro da cidade, recentemente um grupo de músicos se juntou para produzir música na praça. A Roda de Choro Sergipana é um coletivo de artistas que se apresentam regularmente aos sábados na Praça Fausto Cardoso e que tem agregado artistas de outras áreas, como a literatura erudita e popular, em um sarau matutino à céu aberto. Não é em qualquer lugar que você encontra isso; então, confira as informações no Facebook Roda de Choro Sergipana e saiba quando será a próxima apresentação. Aproveite para curtir uma boa música sergipana ao ar livre e com vista por Rio Sergipe.

12345505_1013580068715584_963990048880419627_n - facebook

A Roda de Choro Sergipana é um movimento novo, feito por artistas locais, que leva música à praça (Imagem: reprodução Facebook)

Memorial do Poder Judiciário de Sergipe: inaugurado em 1892 e atualmente conhecido como Palácio Sílvio Romero, o local abriga um acervo que inclui registros textuais, iconográficos, sonoros e bibliográficos, retratando diversos períodos da história de Aracaju e Sergipe, em exibição permanente. Alguns salões internos também recebem exposições itinerantes de curta duração, de artistas sergipanos e nacionais. O local também possui um auditório para eventos, mas é a sua fachada que ganha iluminação especial durante o período do Natal para receber uma das mais belas apresentações de coral natalina da cidade: um grande coro de crianças entoa canções tradicionais junto á uma orquestra, na abertura dos festejos natalinos da cidade. Apesar de não estar incluso nos principais roteiros de turismo da cidade, sua estrutura e seu acervo valem a visita. O memorial fica em frente ao Parque Teófilo Dantas, na Praça Olímpio Campos, onde também está situada a catedral metropolitana. Então, não deixe de incluir este ponto no seu roteiro. Saiba mais sobre horário e exposições clicando aqui para acessar o site do Memorial.

Casa Rua da Cultura: este é um espaço bem alternativo e pouco conhecido, até mesmo pelos aracajuanos, mas que é uma boa oportunidade para quem deseja conhecer a cena cultural teatral de Aracaju. O local é mantido por um grupo independente de teatro chamado Stultífera Navis, que iniciou os seus trabalhos desenvolvendo um projeto de ocupação do espaço público, chamado “Rua da Cultura”. Com o tempo, o projeto ganhou volume e o grupo conseguiu um espaço físico para servir de apoio para a realização de diversos projetos. A Casa possui uma sala de espetáculos com eventos realizados pela própria Stultífera, inclusive em parceria com outras companhias do estado, voltados para o público adulto e infantil, distribuídos em temporadas, e um ponto de leitura com acervo disponível para visitantes. Além disso, a Casa Rua da Cultura fica em frente à Praça Camerino, recentemente reformada, e quase ao lado do Museu da Gente Sergipana. Ou seja, mesmo pra quem está no roteiro turístico, dá pra incluir este local entre os que serão visitados. Para acompanhar as temporadas de apresentações, confira no site Casa Rua da Cultura clicando aqui.

Cacique Chá: a antiga casa de chá frequentada por diversas personalidades aracajuanas no início do século XX, é um prédio particular localizado na Praça Olímpio Campos e que possui, em sua estrutura, pinturas originalmente feitas pelo artista Jenner Augusto. Após o fechamento da casa de chá, o prédio passou por diversos aluguéis e fechou as portas por longos anos; até que, em 2015, foi reaberto já sob a custódia do SENAC como parte da escola de gastronomia e laboratório estudantil dos alunos dos cursos de culinária, garçonaria e turismo. Não bastasse ser apenas um restaurante, o local também recebeu um acervo de peças do artista que deixou suas marcas nas paredes do prédio, tornando-se também um memorial à Jenner Augusto. O lugar, que nunca deixou de ser lembrado pelos aracajuanos, agora tem um motivo a mais para ser visitado. Aliás, um não, dois: conhecer o memorial e experimentar a culinária do restaurante. Não deixe de conhecer o lugar.

cacique_cha_550x312 - foto reprodução site senac

O novo Cacique Chá abriga um restaurante-escola do SENAC e um memorial à Jenner Augusto (Imagem: site SENAC)

Galeria de Artes Álvaro Santos: continuando o passei pela praça Olímpio Campos, exatamente na mesma rua, só que do outro lado da praça, está localizada a Galeria de Artes Álvaro Santos. O prédio fica exatamente onde funcionava o antigo aquário de Aracaju, sendo transformado em galeria nos idos da década de 1960. Atualmente, a GAAS é um reduto de exposições e mostras coletivas com destaque para os artistas sergipanos, desde os mais reconhecidos, como J. Inácio, até o famoso Salão dos Novos, evento que ocorre uma vez por ano e revela os novos talentos do estado. O lugar ideal para saber mais sobre a arte e a cultura do povo sergipano.

O Centro Histórico pode não ser um local muito valorizado por conta do seu aspecto comercial e antigo, mas é, sem dúvidas, uma excelente experiência para se viver uma Aracaju desde a sua história até o seu presente, vislumbrando seu futuro.

Ah, e se você já está pensando no próximo feriadão, que tal fazer uma simulação de reserva agora pelo site do hotel? Clique aqui e confira as tarifas e disponibilidades para você vir conhecer nossa cidade, se encantar com as belezas de Aracaju e descobrir o jeito Celi Hotel de lhe servir com qualidade.

Até breve!

Observação: as informações que constam neste post podem ser modificadas sem prévio aviso. Dados e informações foram retiradas do Portal da TV Sergipe (sobre o Cacique Chá e sobre a Capela São Salvador), site SENAC, site da Casa Rua da Cultura, site do Tribunal de Justiça de Sergipe (sobre o Memorial do Poder Judiciário), do Facebook Roda de Choro Sergipana e do Site da Universidade Federal de Sergipe (sobre a história de Aracaju: http://www.ufs.br/conteudo/aracaju-entre-evolu-urban-stica-diversidade-arquitet-nica-2989.html)

 

Anúncios

  1. Boa noite!!
    Adoramos nossa estadia ai. Para tanto gostaríamos de repetí-la. Estamos comemorando aniversario de casamento. Gostaríamos de saber o valor especial para nossa estadia ai de 23 de março a28 de março de 2016.
    Onrigada
    Maria Helena

    Enviada do meu iPad

    >

    Curtir

  2. Olá bom dia, eu sou o Eduardo Correia Gonçalves Dias, um sergipano que nasceu na Av. Barão de Maruim onde hoje funciona a clinica Climed ( se não estou enganado sobre o nome da clinica!) filho de Albertino Gonçalves Dias (agrônomo) e Eunice Correia Dias, sair de Aracaju aos 8 anos de idade vindo morar em Salvador, mas sempre voltei a Aracaju para rever meu Pai e amigas de minha mãe junto a sua companhia!
    de 2011 pra cá tenho indo com frequência à trabalho e vejo o quanto Aracaju se desenvolveu e cresceu, fico muito feliz de ver o turismo se expandir e aproveito aqui para parabenizar a vocês do Celi Hotel pelo belo e importante trabalho de resgatar a memoria desta linda e aconchegante cidade, minha terra natal de tantos encantos e boas lembranças….Amo Aracaju! A criatividade e harmonização arquitetônica de suas casas e hoje também seus muitos edifícios! a orla mais bela que conheço onde junta de maneira harmonizada espaços múltiplos de lazer com bares, restaurantes, parques infantis, quadras de esportes diversos, espaços para shows artísticos, hotéis, oceanário, e uma lagoa indescritível de tanta beleza e paz que nos transmite, além dos belos monumentos de personalidades históricas, parabéns a esse povo sergipano que sabe resgatar e valorizar a memoria do seu povo e dos brasileiros de maneira geral! Aracaju sempre foi conhecida e citada por ser uma cidade bastante limpa, tenho certeza que muitos outros encantos contém esta cidade, e vocês do Celi Hotel através deste bonito trabalho, estão também fazendo estória!
    Ainda não tive oportunidade de me hospedar com vocês, mas quem sabe em breve! de qualquer forma, mais uma vez, parabéns pelo bonito e importante trabalho realizado.

    Curtir

    • Nossa Eduardo! Que felicidade em receber seu depoimento! Nós é que ficamos imensamente satisfeitos em saber que estamos conseguindo atingir o nosso objetivo com este blog: fazer nosso querido estado ser mais conhecido e divulgar as belezas de nossa capital para que sejam apreciadas por todos. Realmente, Aracaju tem se desenvolvido progressivamente nos últimos anos, mas estamos conseguindo manter a nossa história e criar novas oportunidade de turismo local. Isso tem engrandecido ainda mais a cidade. Este blog é uma ferramenta que busca evidenciar o potencial turístico do lugar,c om um olhar essencialmente sergipano.

      Visite-nos sempre que possível! Esperamos poder recebê-lo em breve no Celi Hotel Aracaju. Assim como nossa cidade, estamos de braços abertos para fazer desta a sua melhor hospedagem!

      Curtir

    • Eduardo, aqui quem fala é seu irmão, meu nome é Antônio Gonçalves Dias Neto, filho também de Albertino Gonçalves Dias, engenheiro agrônomo, fiscal agropecuário federal no ministério da agricultura!

      Curtir

    • Eduardo, aqui quem fala é seu irmão, meu nome é Antônio Gonçalves Dias Neto, filho também de Albertino Gonçalves Dias, engenheiro agrônomo, fiscal agropecuário federal no ministério da agricultura, tenho um enorme desejo de conhecer meus irmãos paternos, Deus te abençoe!

      Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s