O centro do Centro Histórico

Olá pessoal!

Após o carnaval, retornamos à nossa série de postagens sobre os bairros de Aracaju, para que vocês possam conhecê-los além dos tradicionais roteiros turísticos. Para quem vem à capital sergipana pela primeira vez, nossa sugestão é conhecer nossos posts sobre as possibilidades de roteiros para conhecer Aracaju de acordo com o período que for passar aqui (10 dias, 8 dias, 5 dias, 3 dias ou 1 dia). Mas se esta já é a sua segunda, terceira, quinta ou décima vez na cidade, ou se está por aqui quase sempre, seja à trabalho ou lazer, estas postagens são especialmente para você!

PRAÇA FAUSTO CARDOSO - TURISMO SERGIPE

Praça Fausto Cardoso, no coração do Centro Histórico de Aracaju (Foto: site Turismo Sergipe)

Hoje, vamos falar um pouco sobre o Centro de Aracaju, que, por conta de sua estrutura arquitetônica histórica, se transformou nos dos bairros turísticos da cidade.

– Se o bairro é turístico, seus principais locais estão entre aqueles roteiro de visita?

– Exato! Mas só os PRINCIPAIS! Tem muita coisa acontecendo no centro de Aracaju e muito que já aconteceu mas que ficou ali, num canto, e nem sempre recebe muito destaque; passando desapercebido pelos turistas.

Passeando pelas ruas do bairro, é possível encontrar memoriais, museus, construções centenárias e muito mais itens que o compõem, e remontam aos seus primórdios no desenvolvimento da cidade. Por isso, apesar de ser o centro comercial da cidade, também é conhecido como Centro Histórico. E falando sobre o assunto, vamos conhecer agora um pouco da história do bairro.

Histórico Centro

Foi em 1855, quando Aracaju recebeu o título de capital da província de Sergipe D’el Rey, que o centro passou a existir. A cidade foi a segunda capital planejada do nordeste e teve sua primeira planta desenhada de modo que os lotes fossem quadrados e sempre com a mesma medida; por isso, durante muitos anos, Aracaju ficou conhecida como “tabuleiro de xadrez do nordeste”.

598667_484021098283676_1044950391_n

Aracaju teve seu centro planejado e é conhecida como “tabuleiro de xadrez” (Imagem: blog Sergipe em Fotos)

Uma das primeiras grandes edificações da cidade neste bairro foi a Igreja São Salvador, localizada num dos calçadões do centro histórico e atualmente reformada.Na época de sua construção, o solo pantanoso e insalubre do local foi uma das dificuldades encontradas, não apenas para erguer a igreja mas toda a cidade que começa a se desenhar. Além disso, a baixa qualidade da água potável na região causou diversas doenças durante os primeiros anos de existência de Aracaju. Mas, superados os problemas iniciais, Aracaju começou a progredir, graças à zona portuária, que foi o grande filão para a troca da capital do Sergipe.

Com o passar dos anos, o comércio da região se desenvolveu e a área começou a receber dezenas de construções que deram volume ao bairro, conhecido por abrigar a elite do período. A construção da catedral metropolitana, de parques e praças, bem como o palácio do governo do estado, após a emancipação de Sergipe, fizeram o centro de Aracaju se expandir, originando bairro circunvizinhos que proporcionaram o crescimento populacional e desenvolvimentos da cidade, que hoje tem pouco mais de 160 anos de existência.

O que o Centro Histórico tem?

Para os que buscam os roteiros turísticos, o Centro Histórico é passagem obrigatória! O bairro possui um grande acervo a ser conhecido. E tem muito mais além do tradicional passeio pelos museus, pela catedral, pelos memoriais… Você tem tempo? Então, sente-se e veja a vida passar pelo centro, ou aproveite aqueles lugares pelos quais você já passou mas sempre deixou para uma próxima visita. Alguns deles ficam escondidos mas são verdadeiras pérolas!

Capela São Salvador: na verdade, a ´”igreja” é uma capela subordinada à Paróquia da Catedral Metropolitana. É a primeira igreja do centro da cidade de Aracaju e localiza-se no calçadão da Rua Laranjeiras. Apesar de ter sofrido inúmeras reformas, que mudaram um pouco da arquitetura original, a Capela São Salvador ainda conserva os detalhes que a identificam como eclética, e caracteriza algumas das construções do período. Já em 2012, a Capela de São Salvador foi declarada pelo IPHAN como Patrimônio Histórico e Artístico de Sergipe; mostrando o valor simbólico do local para os aracajuanos e sua história. Para os mais religiosos, há missa diariamente no local. Para os curiosos, visitar um patrimônio reconhecido pelo estado em meio ao centro comercial da cidade é uma oportunidade que não deve ser desperdiçada.

Música no mercado: O mercado municipal de Aracaju, composto pelos prédios dos mercados Thales Ferraz, Antônio Franco e Augusto Franco, é um dos pontos turísticos mais conhecidos do bairro. Dezenas de lojas com produtos artesanais, comidas tradicionais e itens variados podem ser encontradas no local e atrai centenas de turistas diariamente para conhecerem o que há de mais tradicional na cidade. Mas se você já conhece esta parte do mercado, te convidamos a aproveitar o seu lado musical: aos finais de semana, geralmente aos sábados, é comum encontrar grupos de samba e chorinho seja na parte interna do mercado Thales Ferraz ou na parte externa do mercado Antônio Franco. A alegria dos músicos costuma contagiar quem passa. É difícil estar no local e não parar um minuto que seja para ouvir os clássicos nacionais e regionais, entoados nas vozes com o sotaque marcado típico do local. Sente-se e aprecie a música e quem sabe até um tira-gosto.

Chorinho no Parque: seguindo a rota musical no centro da cidade, recentemente um grupo de músicos se juntou para produzir música na praça. A Roda de Choro Sergipana é um coletivo de artistas que se apresentam regularmente aos sábados na Praça Fausto Cardoso e que tem agregado artistas de outras áreas, como a literatura erudita e popular, em um sarau matutino à céu aberto. Não é em qualquer lugar que você encontra isso; então, confira as informações no Facebook Roda de Choro Sergipana e saiba quando será a próxima apresentação. Aproveite para curtir uma boa música sergipana ao ar livre e com vista por Rio Sergipe.

12345505_1013580068715584_963990048880419627_n - facebook

A Roda de Choro Sergipana é um movimento novo, feito por artistas locais, que leva música à praça (Imagem: reprodução Facebook)

Memorial do Poder Judiciário de Sergipe: inaugurado em 1892 e atualmente conhecido como Palácio Sílvio Romero, o local abriga um acervo que inclui registros textuais, iconográficos, sonoros e bibliográficos, retratando diversos períodos da história de Aracaju e Sergipe, em exibição permanente. Alguns salões internos também recebem exposições itinerantes de curta duração, de artistas sergipanos e nacionais. O local também possui um auditório para eventos, mas é a sua fachada que ganha iluminação especial durante o período do Natal para receber uma das mais belas apresentações de coral natalina da cidade: um grande coro de crianças entoa canções tradicionais junto á uma orquestra, na abertura dos festejos natalinos da cidade. Apesar de não estar incluso nos principais roteiros de turismo da cidade, sua estrutura e seu acervo valem a visita. O memorial fica em frente ao Parque Teófilo Dantas, na Praça Olímpio Campos, onde também está situada a catedral metropolitana. Então, não deixe de incluir este ponto no seu roteiro. Saiba mais sobre horário e exposições clicando aqui para acessar o site do Memorial.

Casa Rua da Cultura: este é um espaço bem alternativo e pouco conhecido, até mesmo pelos aracajuanos, mas que é uma boa oportunidade para quem deseja conhecer a cena cultural teatral de Aracaju. O local é mantido por um grupo independente de teatro chamado Stultífera Navis, que iniciou os seus trabalhos desenvolvendo um projeto de ocupação do espaço público, chamado “Rua da Cultura”. Com o tempo, o projeto ganhou volume e o grupo conseguiu um espaço físico para servir de apoio para a realização de diversos projetos. A Casa possui uma sala de espetáculos com eventos realizados pela própria Stultífera, inclusive em parceria com outras companhias do estado, voltados para o público adulto e infantil, distribuídos em temporadas, e um ponto de leitura com acervo disponível para visitantes. Além disso, a Casa Rua da Cultura fica em frente à Praça Camerino, recentemente reformada, e quase ao lado do Museu da Gente Sergipana. Ou seja, mesmo pra quem está no roteiro turístico, dá pra incluir este local entre os que serão visitados. Para acompanhar as temporadas de apresentações, confira no site Casa Rua da Cultura clicando aqui.

Cacique Chá: a antiga casa de chá frequentada por diversas personalidades aracajuanas no início do século XX, é um prédio particular localizado na Praça Olímpio Campos e que possui, em sua estrutura, pinturas originalmente feitas pelo artista Jenner Augusto. Após o fechamento da casa de chá, o prédio passou por diversos aluguéis e fechou as portas por longos anos; até que, em 2015, foi reaberto já sob a custódia do SENAC como parte da escola de gastronomia e laboratório estudantil dos alunos dos cursos de culinária, garçonaria e turismo. Não bastasse ser apenas um restaurante, o local também recebeu um acervo de peças do artista que deixou suas marcas nas paredes do prédio, tornando-se também um memorial à Jenner Augusto. O lugar, que nunca deixou de ser lembrado pelos aracajuanos, agora tem um motivo a mais para ser visitado. Aliás, um não, dois: conhecer o memorial e experimentar a culinária do restaurante. Não deixe de conhecer o lugar.

cacique_cha_550x312 - foto reprodução site senac

O novo Cacique Chá abriga um restaurante-escola do SENAC e um memorial à Jenner Augusto (Imagem: site SENAC)

Galeria de Artes Álvaro Santos: continuando o passei pela praça Olímpio Campos, exatamente na mesma rua, só que do outro lado da praça, está localizada a Galeria de Artes Álvaro Santos. O prédio fica exatamente onde funcionava o antigo aquário de Aracaju, sendo transformado em galeria nos idos da década de 1960. Atualmente, a GAAS é um reduto de exposições e mostras coletivas com destaque para os artistas sergipanos, desde os mais reconhecidos, como J. Inácio, até o famoso Salão dos Novos, evento que ocorre uma vez por ano e revela os novos talentos do estado. O lugar ideal para saber mais sobre a arte e a cultura do povo sergipano.

O Centro Histórico pode não ser um local muito valorizado por conta do seu aspecto comercial e antigo, mas é, sem dúvidas, uma excelente experiência para se viver uma Aracaju desde a sua história até o seu presente, vislumbrando seu futuro.

Ah, e se você já está pensando no próximo feriadão, que tal fazer uma simulação de reserva agora pelo site do hotel? Clique aqui e confira as tarifas e disponibilidades para você vir conhecer nossa cidade, se encantar com as belezas de Aracaju e descobrir o jeito Celi Hotel de lhe servir com qualidade.

Até breve!

Observação: as informações que constam neste post podem ser modificadas sem prévio aviso. Dados e informações foram retiradas do Portal da TV Sergipe (sobre o Cacique Chá e sobre a Capela São Salvador), site SENAC, site da Casa Rua da Cultura, site do Tribunal de Justiça de Sergipe (sobre o Memorial do Poder Judiciário), do Facebook Roda de Choro Sergipana e do Site da Universidade Federal de Sergipe (sobre a história de Aracaju: http://www.ufs.br/conteudo/aracaju-entre-evolu-urban-stica-diversidade-arquitet-nica-2989.html)

 

Viva São João!

Chegou o grande dia, o dia dele! Afinal, apesar de comemorarmos o santo em 24/06, é na véspera que a grande festa acontece: as famílias se reúnem em volta da fogueira para celebrar o nascimento de São João Batista. E a fogueira é um elemento fundamental na festa junina, afinal, conta a história, que Isabel e Zacarias, os pais de João Batista, acenderam uma fogueira na noite em que o menino nasceu para avisar aos vizinhos do nascimento da criança. Por isso, este é o símbolo mais característico dos festejos, e algo que pode ser visto ainda nos dias de hoje na porta das casas que honram a mais autêntica tradição junina.

A celebração de São João é feita na véspera do dia em que se comemora o santo

A celebração de São João é feita na véspera do dia em que se comemora o santo

Mas não é só de fogueira que se faz um São João. Uma farta mesa de comidas típicas também é tradição; além da música que dá o tom da festa: xaxado, xote, baião… Muito destes ritmos, tradicionalmente nordestinos, foram amplamente difundidos Brasil a fora pelo saudoso “rei do baião” Luiz Gonzaga, e apropriados pelos festejos juninos devido a autenticidade que é característica primordial do período.

E pra você não fazer feito nessa festa, capriche nos trajes: vestidos coloridos para as meninas e camisa xadrez para os rapazes. Botas e sandálias de couro podem ser utilizadas de acordo com a indumentária. Os rapazes podem usar chapéu de couro ou de palha, e as meninas devem caprichar na maquiagem, realçando a maçã do rosto com blush, e investir num cabelo com trancinhas e laços coloridos. Seja no estilo vaqueiro ou matuto, o importante é estar à caráter para aproveitar a festa com tudo o que ela te oferece.

A fogueira reúne as pessoas para celebrar São João

A fogueira reúne as pessoas para celebrar São João

E hoje no Celi Hotel a festança vai ser completa: a quadrilha Luiz Gonzaga vai se apresentar para nossos hóspedes! Muita animação e o colorido do São João vão invadir o hotel, e proporcionar aos nossos hóspedes uma experiência única de um festejo no estado que se transformou no “país do forró”. Aproveite você também esta festa; mas sempre com responsabilidade: cuidado com os fogos de artifício e, se beber, não dirija. Assim, a festa fica alegre até o dia raiá! Um feliz São João pra todos!

De encher os olhos e dar água na boca

Vamos continuar nossas postagens destacando as festividades juninas até o final do mês, quando São Pedro fechar o período de festa; afinal, temos muito para falar sobre esta expressão autenticamente nordestina. E o assunto de hoje é o mais saboroso possível, pois é neste período onde mais se consomem as comidas típicas do Nordeste. Um bom cardápio junino reúne diversas opções de pratos, em sua maioria, com base de milho, coco e tapioca. E nem precisa de garfo e faca! Conhecer um pouco dessas guloseimas é saber mais sobre o povo da região. Então, preste bem atenção nesta postagem: você vai ficar com água na boca!

A culinária junina tem como principal elemento o milho que é plantado no dia de São José

A culinária junina tem como principal elemento o milho que é plantado no dia de São José

Como dito acima, grande parte das comidas do período junino tem como base o milho. E a tradição sobre esta comida se inicia bem antes do dia de São João. Afinal, o milho costuma ser plantado no dia de São José, 19/03; pois, segundo a tradição, se chove neste dia, a colheita será boa durante o mês de Junho. Isso garante uma venda lucrativa para os produtores e uma mesa farta para todos: os que produzem e os que vão se deliciar com o produto da colheita!

E o milho é consumido de todo jeito: cozido, assado (até mesmo na brasa da fogueira), tem bolo de milho, bolo de fubá (que é a farinha do milho), pamonha, além de dois itens muito comuns por aqui mas que confundem os turistas com seus nome diferentes: a canjica, que muitos chamam de curau, e o mungunzá, que se parece com o que alguns conhecem por canjica! Achou confuso? É a regionalização que faz tudo ser diferente neste país continental. Mas, te damos uma dica: vem pra Aracaju experimentar essas delícias e você vai descobrir a diferença na prática. E não existe jeito melhor de reconhecer estas delícias que não seja pelo sabor de cada uma delas.

Ah, e quase esquecemos do pé-de-moleque: o que, para muito é um doce com amendoim, aqui é uma massa de

Arroz doce, canjica e mungunzá são alguns dos pratos mais consumidos pelos turistas

Arroz doce, canjica e mungunzá são alguns dos pratos mais consumidos pelos turistas

tapioca (também conhecida como “puba” e coco, assada na palha da bananeira. Afinal, não é só de milho que se vive no São João: o coco e a tapioca também são base de receitas muito tradicionais e que fazem o maior sucesso por aqui. O beiju, que atualmente se tornou bem conhecido em todo o país, ganha as mais diversas variações: o beijú-molhado, mistura a massa com o leite de coco, que dar um sabor doce à receita; já o sarolho, onde a tapioca se une ao coco ralado, com um sabor mais salgado e textura seca; enquanto o malcasado fica no meio do caminho: nem muito salgado e nem muito doce, nem tão molhado nem tão seco. É como a gente disse: só experimentando pra saber. E com tantas opções, vai ser difícil você escolher o mais gostoso!

Existem ainda outras comidinhas que são comuns no cardápio junino: o arroz-doce, a queijada, o bolo de macaxeira (ou mandioca, ou aimpim – a depender de onde você more, a raiz pode ter nomes diferentes, mas aqui é macaxeira, não esqueça!) e o de puba; além de aperitivos como o amendoim cozido e as castanhas, estes muito comuns no estado durante todo o ano. E que acompanham bem quentão e os licores, que são as bebidas mais consumidas em Sergipe durante o São João. Jenipapo, uva-passa e até a queridinha sergipana mangaba são algumas das frutas utilizadas como base destas bebidas que prometem esquentar a noite do pouco rigoroso inverno nordestino.

No Celi Hotel, os hóspedes vão se deliciar experimentando os pratos típicos da culinária junina com um cardápio especial

No Celi Hotel, os hóspedes vão se deliciar experimentando os pratos típicos da culinária junina com um cardápio especial

Ficou com água na boca? Então, saiba que no Celi Hotel, durante todo o mês de Junho, temos uma verdadeira degustação dessas delícias. Além de saborear algumas destas iguarias durante o café da manhã, nossos hóspedes terão um cardápio especial durante a semana do São João, com cinco pratos típicos diferentes por dia! Você vai se hospedar com conforto e qualidade, em frente à Orla de Atalaia, e ainda vai experimentar o melhor da culinária mais tradicional do estado sem precisar sair do hotel. Dessa vez, a gente caprichou para oferecer o melhor do período junino aos nossos hóspedes.

E não pense que acabou! São João está chegando e na próxima semana o Celi Hotel vai fazer uma surpresa junina para seus hóspedes! Essa festa tem mesmo muito sobre o que falar ou “dá pano pra manga”, como dizem por aqui. Continue conectado com o Celi Hotel Aracaju através do nosso blog ou nas redes sociais. Acesse nosso facebook e o instagram para conferir todas as novidades do hotel e acompanhar de perto a surpresa que estamos preparando. Deixe seu comentário com sugestões e comente sobre o que deseja saber ou ver por aqui. Estamos prontos para te receber e informar sobre o que Sergipe tem de melhor para oferecer; e nossa culinária, sem dúvidas, é uma das boas surpresas que você encontra por aqui! Em breve, tem mais sobre São João. Anavantou!

Vai ter festa no arraiá!

Olá pessoal!

O clima junino já se instaurou no estado inteiro. A expressão “país do forró” representa bem a força dos festejos juninos no estado de Sergipe. Quem chega pelo aeroporto, já está sendo recebido com um trio de forró pé-de-serra e uma belíssima decoração junina. Daí, já se sente o clima de festa que se espalha por todo lugar. E, faltando poucos dias para os festejos de Santo Antônio, o primeiro dos santos comemorados durante o mês, a programação já está pronta, os artistas já estão se preparando para entrar em cena e o povo não aguenta mais esperar para cair na folia. Então, vamos aproveitar este post para divulgar algumas das principais festas e eventos referente aos período, na capital e no interior do estado. Aí, é só colocar a camisa xadrez, calçar a sandália de couro, caprichar no visual e ariar a fivela até o dia raiar!

Os trios de forró pé-de-serra fazem a festa para quem preferir o Arraiá do Povo na Orla e próximo ao Celi Hotel

Os trios de forró pé-de-serra marcam o ritmo do São João de Norte à Sul de Sergipe

ARACAJU

FORRÓ CAJU: como já passamos a programação, confira no post anterior clicando aqui.

ARRAIÁ DO POVO: o São João na Orla de Atalaia acontece na Praça de Eventos e remonta uma cidade cenográfica com palco para apresentação de artistas locais e nacionais, além de quadrilhas e trios pé-de-serra. Confira a programação em outro post, clicando aqui.

RUA SÃO JOÃO: fica no Bairro Industrial, próximo ao centro da cidade. Lá acontece um dos mais tradicionais concursos de quadrilhas juninas do estado. As apresentações acontecem todas as noites, de 3 à 29 de Junho, no palco central, localizado próximo ao Centro Cultural. Ao final de cada noite, tem sempre um bom forró pé-de-serra para aquecer as noites frias de junho. No dia 24 de Junho, não haverá apresentação de quadrilha, mas terá o tradicional casamento caipira e forró com Zezinho do Acordeon. Vale a pena conferir.

MUSEU DA GENTE SERGIPANA: o museu está com uma programação especial durante todo o mês de Junho. Todas as terças, quartas e quintas, desde o dia 09/06, serão ministradas duas oficinas durante o dia: pela manhã, às 10h, oficina de decoração junina e às tardes, 14h30, oficina de danças juninas. Além disso, confira a programação de outros eventos realizados pelo museu:

Dia 12 – 15h às 18h – Forró no Museu, com trio Balança Eu

Dia 19 – 15h – Cortejo junino, com a Quadrilha ‘Ta tu na Roça’: Saída da Praça General Valadão, com destino ao Museu, passando pelo Calçadão da João Pessoa / 16 às 18h – Quadrilha no museu, com a Quadrilha Junina ‘Ta tu na Roça’

Dia 26 – 15h às 18h – Brincadeira no museu, com o Batalhão de Bacamarteiros de Aguada (Carmópolis)

Dia 28 – 12h às 14h – Transmissão ao vivo do Programa Puxa o Fole, de Sergival, homenageando a Paulo Ferreira dos Santos, o Xaxado do Mercado de Aracaju, Participação de Edgar do Acordeom, Samba de Coco do Mosqueiro, Zé Rozendo e Marluce

A beleza e o colorido das quadrilhas juninas são item obrigatórios em grande parte dos eventos do estado

A beleza e o colorido das quadrilhas juninas são item obrigatórios em grande parte dos eventos

CONCURSO DE QUADRILHA LEVANTA POEIRA: este concurso é realizado pela TV Sergipe e a campeão local vai disputar com as vencedoras dos demais estados do nordeste o título de melhor quadrilha junina da região. Começou terça, dia 09, com apresentações todas as noites no Ginásio do SESI do Conj. Augusto Franco, no bairro Farolândia. O grande encerramento será no dia de Santo Antônio, dia 13/06.

N. SRA. DO SOCORRO

FORRÓ SIRI: o evento fica na cidade há poucos minutos de Aracaju e tem crescido em público e divulgação. Confira a programação dos artistas por noite de evento:

19 de Junho (Conjunto Jardim): Forró Brasil  / Léo & Lenilson / Raquel e Seu Teclado

20 de Junho (Conjunto Jardim): Antonio o Clone / Asas Morenas / Forró dos Plays

26 de Junho (João Alves): Calcinha Preta / Comunidade Que Canta / Edgard do Acordeon / Fogo na Saia / Rafael Gonçalves

27 de Junho (João Alves): Aviões do Forró / Cebolinha e Forró Bis / Danielzinho & Forrozão Quarto de Milha / Rojão Diferente / Ton Ramos / Forró Globalizado

28 de Junho (João Alves): Erivaldo de Carira / Forró na Roça / Luan Estilizado / Léo Magalhães / Raquel e Seu Teclado

AREIA BRANCA

FESTEJOS JUNINOS: a cidade de Areia Branca já foi um dos principais pólos de festejos do estados. Este ano está com uma programação mais restrita, celebrando São João e São Pedro. A cavalgada do dia 29 é uma tradição local e, como os shows vão até o dia amanhecer, o café da manhã com música ao vivo está garantido!

Dia 23: 21h – Raquel dos Teclados / 22:30h – Thais Nogueira / 0h – Marcelo Bala / 01:30h – Cavalo de Pau / 03:30h – Lourinho do Acordeon

Dia 24: 19h – Padre Peixoto

Dia 28: 21h – Forro dos Vips / 22:30h – Zueroes do Forro / 0h – Rabo de Gato / 01:30h – Fogo na Saia / 03:30h – Raio da Silibrina

Dia 29: 16h – Danielzinho (Cavalgada) / 21h – Antonio Carlos do Aracaju / 22:30h – Erivaldo de Carira / 0h – Rojao Diferente / 02h – Cavaleiros do Forró / 03:30h – Forrozao Elite / 05:30h – Trio Areia Branca (Café da Manhã)

ESTÂNCIA

FESTEJOS JUNINOS: Estância é nacionalmente conhecida por uma autêntica tradição local e junina: o barco de fogo. Um artefato num formato de embarcação repleto de fogos de artifício, que percorre o ar nas noites estancianas durante o mês de Junho. São 30 dias de eventos que incluem shows, apresentações de quadrilhas, corrida de barco de fogo, demonstração de “guerras” de espadas, entre muitos outros. Não encontramos uma programação diária divulgada, mas vale a pena conhecer a cidade e descobrir as belezas de um São João de tradição!

CANINDÉ DO SÃO FRANCISCO

SÃO JOÃO DE CANINDÉ: a cidade é conhecida por receber os turistas que vão visitar os cânions de Xingó, mas também tem São João. Então, que tal conferir a programação e aproveitar o melhor que o local tem para oferecer de dia e de noite?

Dia 13: Forró 10 / Danielzinho e Forrozão Quarto de Milha / Saia Rodada

Dia 19: Farra de Barão / França / Mano Walter

Dia 20: Fogo na Saia / Alma Gêmea / Samyra Show

Dia 23: Sávio / Paulo Nunes / Forró dos Boys

Dia 28: Sawana / Marcelo Silva / Mala 100 Alça

ITABAIANA

FESTA DO CAMINHONEIRO: a cidade é conhecida como a capital brasileira do caminhão e esta festa uma das maiores festas no interior de Sergipe, sendo reconhecida nacionalmente. Atrai centenas de caminhoneiros de todo o país que celebram a fé em atos religiosos e aproveitam para curtir os shows de grandes bandas. A festa já começou no dia 06/06 e vai até o dia 13/06 com as mais variadas atrações. Confira:

Dia 06: Show religioso com Cantores de Deus (Praça Fausto Cardoso ao lado da Matriz)

Dia 07: 08:00- Carreata Mirim / 19:00 – Banda Cartas da Mesa / 20:30 – Concurso Rainha dos Caminhoneiros / 22:30 – Elio Lima e Banda

Dia 08: 18:00 – Jogo dos Caminhoneiros (Campo do Sesi)

Dia 09: 14:00 – Abertura Oficial dos Estandes – Início da Feira do Caminhão e 22:00h – Encerramento das atividades.

Dia 10: 14:00 – Abertura dos Estandes e 21:30h – Encerramento das atividades / 22:00 – Léo Wander / 23:30 – Marcia Felipe e Forró da Curtição / 01:00 – Coração Xonado / 02:30 – Wesley Safadão e Garota Safada / 04:00 – Frank Dyal

Dia 11: 14:00 – Abertura dos Estandes e 21:30h – Encerramento das atividades / 22:00 – Carlos Lima e Luciano / 23:30 Victor e Léo / 01:00 – Jailson Lima / 02:30 – Luan Forró Estilizada / 04:00 – Alma Gêmea

Dia 12: 06:00 – Alvorada Festiva / 07:00 – Benção das Chaves (Espaço Jovem) / 11:00 – Show com Agnaldo Maraial e Léo (AABB) / 12:00 – Almoço dos Caminhoneiros / 13:00 – Show com Etinho Marques (AABB) / 14:00 – Abertura dos Estandes / 18:00 – Carreata Alusiva a Santo Antônio / 21:30h – Encerramento das atividades / 22:00 – Caio Sertanejo / 23:30 – Rojão Diferente / 01:00 – Antônio O Clone / 02:30 – Aviões do Forró / 04:00 – Samyra Show

Dia 13: 16:00 – Procissão do Glorioso Santo Antonio

Homens fixam o mastro em praça pública para começar a brincadeira

Homens fixam o mastro em praça pública para começar a brincadeira

CAPELA

SÃO PEDRO E FESTA DO MASTRO: a cidade tem como ponto alto dos festejos juninos a tradicional Festa do Mastro, que ocorre no período de comemoração do São Pedro há mais de 70 anos. A preparação para a festa do mastro ocorre alguns dias antes, quando uma árvore é marcada e cortada para ter sua madeira como base do mastro. Todo o ritual é feito ao som de cantorias e encenações folclóricas. No dia da grande festa, uma verdadeira multidão percorre as ruas da cidade carregando o mastro que será fixado numa praça da cidade e o feito é festejado com salvas de buscapés e bacamartes. A brincadeira, então, está na tentativa de escalar o mastro. O que parece simples, pode não ser tão fácil, já que os brincantes costumam estar sujos de lama. Essa grande folia atrai sergipanos e turistas que se encantam com a alegria que toma conta de quem participa da festa. Confira abaixo a programação do evento, que inclui shows e apresentações:

Dia 31/05: Lourinho do Acordeon / Galã do Brega / 0h05 – Hasteamento do Estandarte do São Pedro e Cortejo da Sarandaia (concentração em frente ao prédio da prefeitura).

Dia 04/06: 8h – Caminhada Ecológica e Marcação do Mastro/Mata do Junco (Concentração em frente ao prédio da prefeitura).

Dia 10/07: 19h – Missa do Fogueteiro (Igreja Matriz) / 21h – Shows (Praça de Eventos) / Correia dos Oito Baixos / Rojão Diferente / Dorgival Dantas / Forrozão das Antigas

Dia 11/07: 15h – Cortejo da Baiana (vias da cidade/concentração em frente ao prédio da prefeitura) / 21h –  Raquel e seu teclado / Danielzinho e Forrozão Quarto de Milha / Cavaleiros do Forró / Samira Show e Banda 100%

Dia 12/07: 7h –  Busca do Mastro (concentração em frente ao prédio da prefeitura) / 11h30 – Cortejo do Mastro (principais ruas da cidade) / 12h – Condução do Mastro até a Praça de São Pedro / 15h – Shows Galã da Vaquejada / Zueirões do Forró / Kinho e Banda / Souza do Forró / 19h – Queima do Mastro e Guerra de Espadas (Praça São Pedro)

INDIAROBA

SÃO JOÃO: a cidade está despontando entre as que possuem grandes festas durante o período. Por sua proximidade com a divida entre Sergipe e Bahia, atrai muitas pessoas do estado vizinho. A programação mescla artistas locais com outros regionais que prometem deixar os festejos locais ainda mais animados:

Dia 13: Distrito Preguiça, 22h – Os Morais / Cuscuz com Leite / Adilson Mario

Dia 19: Colônia Sergipe, 22h – Anderson Lima / Seeway / Paulo Santos

Dia 20: Sede – Forródromo, 19h – Concurso de Fogueteiros / Farra Vip / Jorginho Andrade

Dia 21: Sede – Ginásio de Esporte, 19h -Concurso de Quadrilhas

Dia 23: Sede, 22h – Fogo na Saia / Rojão Diferente / Pinóquio

Dia 24: Sede, 21h – Pinóquio / Rafael Gonçalves / Forró F13

Dia 27: Distrito Pontal – Tarcísio e Doce Sedução / Luciene Melo / Os Morais

PIRAMBU

FESTEJOS JUNINOS: A cidade é conhecida por abrigar uma das estações do projeto TAMAR de proteção à vida marinha e sua proximidade com a capital Aracaju é mais um motivo para você conferir de perto os festejos juninos da cidade. Este ano, a programação está diversificada não apenas pelas atrações mas pelos locais onde os eventos serão realizados, o que aumenta o tamanho da festa no município. Confira!

Dia 12: 16 horas: Quermesse das Secretarias – quadrilha junina Mandacaru da Praia e trio pé de serra / 20 horas no Arraiá da Gente show com Forró Café Suado

Dia 13: 10 horas – entrega das barracas aos comerciantes / 16 horas – chegada do cortejo junino no “Arraia da Gente” e chegada do mastro e estandartes dos santos padroeiros do ciclo junino – Concentração na Igreja Matriz Nossa Senhora de Lourdes / 20 horas – no “Arraiá da Gente” Show com: Mi Bem Mol

Dia 13 (Povoado Lagoa Redonda): 16 horas – procissão em homenagem ao padroeiro Santo Antônio / 22 horas shows com: Beba ou Chore / Garotas da Balada / Antônio “O Clone”

Dia 19: 19 horas: Grupo da Melhor Idade / 19:30 horas – Quadrilha junina Cangaceiros da Boa / 20 horas no “Arraiá da Gente” Show com: Forró Mandurí

Dia 20: 19 horas no “Arraiá da Gente” / Quadrilha junina Milho Verde (Pov. Aguilhadas) / Quadrilha junina Quadrilhambu / 20 horas show com: Correia de Oito Baixos

Dia 20 (Povoado Baixa Grande): 21 horas: quadrilha junina Meu Xodó / 22 horas shows com: Joilson / Dois Ciganos

Dia 21: 18 horas “Arraiá da Gente” Quadrilha junina Meu Xodó / 22 horas show com: Bons no Palco

Dia 23: 19 horas Concurso de Ruas Enfeitadas / 19 horas no “Arraiá da Gente” Quadrilha junina Milho Verde / 22 horas shows com Forró Mandurí / Banda de Forró /

Dia 23 (Povoado Marimbondo): Quadrilha junina Quadrilhambu (Pirambu) / 22 horas shows com: Sandro Reis / Garotas na Balada

Dia 23 (Povoado Alagamar): 20 horas: Quadrilha junina Meu Xodó (Pov. Lagoa Redonda) / 22 horas shows com:
Adailton Sampaio / Ciganinhos do Arrocha

Dia 27: Cavalgada da Gente

Dia 28: Forró da Rua Campeã do Concurso de Ruas Enfeitadas.

O Celi Hotel já está decorado e pronto para te receber no melhor São João do país!

O Celi Hotel já está decorado e pronto para te receber no melhor São João do país!

Algumas programações ainda estão sendo definidas; por isso, este post é passível de ajustes. Fique ligado, pois podemos colocar novas informações a todos o momento e você vai ficar bem informado para aproveitar o melhor do São João em Sergipe.

Ah, e não deixe para fazer sua reserva no Celi Hotel Aracaju de última hora! Clique aqui e acesse agora nossa site. As melhores tarifas para você ter a melhor hospedagem e ainda com a possibilidade de parcelar em seu cartão de crédito em até 3x! Quer mais informações, envie sua solicitação para o e-mail contato@celihotel.com.br e informe-se. A magia do São João é ainda maior quando se pode descansar no conforto do Celi Hotel!

Fotos e informações: Portal Infonet

Santo Antônio: tradição e fé

Olá pessoal! O feriadão de Corpus Christi foi movimentado e deixou o Celi Hotel lotado de turistas que vieram aproveitar o início dos festejos juninos aqui em Aracaju. Queremos, primeiramente, agradecer a vocês que se hospedaram conosco, e convidar a todos para nos visitar durante o São João. Nosso hotel já está completamente decorado e preparado para receber a todos no clima junino. Anarriê!

O santo casamenteiro é o primeiro a ser comemorado no período junino

O santo casamenteiro é o primeiro a ser comemorado no período junino

Como já falamos semana passada, os festejos já se iniciaram por aqui. E neste final de semana, vamos comemorar o primeiro grande santo junino, que abre oficialmente a abertura dos festejos. Santo Antônio é popularmente conhecido como o “santo casamenteiro”: por este motivo, é grande o número de mulheres que cultuam o santo para arranjar um marido que seja “um bom partido”. Se você encontrar alguma imagem de Santo Antônio de cabeça para baixo ou mesmo dentro da água, não se assuste: é a manifestação da cultura popular que acredita que assim o santo atenderá aos seus pedidos, e de forma bem prestativa! Uma das muitas curiosidades que podem ser atribuídas aos devotos de Antônio.

Comumente também são realizadas as “trezenas”: como o próprio nome diz são 13 dias onde se cantam favores e fazem orações ao santo em troca da tão sonhada graça a ser alcançada. Uma tradição católica muito forte que se mantém, não apenas nas igrejas, mas nas casas dos fervorosos devotos de Antônio. E a fama de casamenteiro deu origem à diversas cantigas e versos, como: “Santo Antônio me case já / Enquanto sou moça e viva / O milho, colhido tarde / Nem dá palha nem espiga”. Então, se você está em busca de um amor pra toda a vida, recorra à Santo Antônio, ou, como dizem por aqui: “se apegue ao santo”!

O altares de Santo Antônio deixaram de ser tradição religiosa para se tornar cultura popular e folclore

O altares de Santo Antônio deixaram de ser tradição religiosa para se tornar cultura popular e folclore

Os altares de Santo Antônio também são uma tradição religiosa e que já se tornou também cultural. Um exemplo disso é a exposição “13 noites com Santo Antônio”, que está acontecendo desde o dia 1º de Junho, no Centro de Cultura e Arte (Cultart), um espaço da Universidade Federal de Sergipe. O evento reune diversos artistas plásticos, associações e pessoas da comunidade para montarem altares decorativos para o santo. O espaço está aberto diariamente e, às 20h, são realizadas as orações da trezena, que se iniciou na abertura do evento. A exposição ficará no local até o próximo sábado, dia 13/06, quando é comemorado o dia do santo.

E não pense que é só isso não, porque em Aracaju, o primeiro bairro da cidade carrega o nome do santo casamenteiro. Então, todos os anos, no dia 13/06, são muitas as comemorações realizadas no local, que conta com uma capela no ponto mais alto da região. Lá são celebradas missas, casamentos, batizados, além da procissão que arrasta fiéis pelas ruas do bairro louvando o santo e que, normalmente, acaba em festa, com muita música e comidas típicas do período.

Há ainda um fato interessante que é ligado ao santo e que também compõe um dos rituais do dia em que ele é comemorado: a distribuição de pães. Conta a história que Santo Antônio se compadecia tanto dos pobres que, certa vez, doou para os pobres todos os pães do convento onde era frade. Com isso, criou-se a tradição do “pão de Santo Antônio” e, assim, pequenos pães bentos são distribuídos como forma de proteger o lar daqueles que os tem, para que nunca falte comida à mesa. Todos querem garantir o seu!

A igreja de Santo Antônio em Aracaju realiza grande festa para comemorar seu padroeiro

A igreja de Santo Antônio em Aracaju realiza grande festa para comemorar seu padroeiro

Mas uma das tradições mais comuns do período está na queima da fogueira em frente às casas daqueles que se chamam Antônio ou que possuem alguém com esse nome morando no local. Então, se você vir a brasa queimando, pode chegar na porta bater palmas e perguntar por “Tonho” (que é o apelido mais comum para o nome). Você vai se tornar quase que uma pessoa da família. E aí sim, a festa fica completa! Andar pela cidade em um desse como esses é vivenciar o que há de mais autêntico na cultura local e sentir-se um verdadeira sergipano! E olha que esta é apenas a primeira festividade junina!

Se você quer conhecer mais sobre tudo isso e experimentar viver um autêntico festejo nordestino, venha para Sergipe, conheça Aracaju e hospede-se conosco. Consulte os valores aqui e faça sua reserva. Você vai descobrir como é bom poder se aquecer no calor da fogueira, dançar no ritmo marcado da zabumba e se deliciar com os sabores do milho. Santo Antônio, São João e São Pedro te esperam aqui!

Fotos: site Infonet

Já é São João no “País do forró”!

Nordestino que é nordestino já está contando os dias para o início da maior festa da região! Falta menos de um mês para o São João mas por aqui os preparativos já começaram. Em Junho, Sergipe se transforma no “país do forró”: o estado que é o menor da federação é responsável por uma das maiores festas entre os seus vizinhos. Aqui, os festejam se espalham por várias cidades em dias diferentes, de modo que o mês inteiro é de muita festa por todo lugar. E, tenha certeza, para quem gosta de conhecer os costumes e tradições de um povo, esta é a melhor época para vir à Sergipe: afinal, não existe nada mais autêntico que os festejos juninos para o nordestino. Já para o sergipano então, é como uma identidade.

Os trios de forró pé-de-serra animam e esquentam as noites com o autêntico forró

Os trios de forró pé-de-serra animam e esquentam as noites com o autêntico forró

E se você acha que nossa contagem começou cedo, está muito enganado. Várias festas com temas juninos já acontecem na cidade desde o início do mês de Maio; e são essas “prévias juninas” que delimitam o início da contagem até o dia 24/06. A verdade é que aqui o São João não é só um dia, ele dura o mês inteiro. As pessoas decoram as ruas e as casas, se arrumam com roupas típicas, as quadrilhas dançam, os trios de forró pé-de-serra tocam e todo mundo se anima para esquentar o período de chuva e clima mais ameno.

Em Aracaju, a festa mais tradicional é o Forró Caju que acontece na praça dos mercados, no Centro Histórico, e que reúne milhares de pessoas durante dias de muita música e animação. No palco principal e nos palcos alternativos, artistas locais e nacionais comandam a festa que começa antes do São João e termina no dia de São Pedro. Na Orla de Atalaia, um grande arraial é montado para mostrar a tradição sergipana com uma decoração cheia de bandeirolas, cores alegres, barracas com artesanato, a capela dos Santos Juninos e a animação das quadrilhas juninas, ao som de sanfoneiros que prometem animar a noite de todos, independente da idade. Na Rua São João, no Bairro Santo Antônio, o cenário é de concurso entre as principais quadrilhas do estado. Um espetáculo para ser visto e incentivado: é só escolher a sua favorita e torcer para que ela seja escolhida a melhor da cidade!

O Forró Caju reúne milhares de pessoas em noites de muita música e animação

O Forró Caju reúne milhares de pessoas em noites de muita música e animação

Uma opção mais cultural é visitar exposições e eventos realizados durante o mês de Junho que destacam a beleza dos festejos não apenas em Aracaju, mas em todo o nordeste. Na capital sergipana, todos os anos, é comum encontrar a exposição de altares de Santo Antônio. O “santo casamenteiro” também é um dos que são celebrados no período e a devoção se apresenta nos altares montados em favor do santo na busca ou em agradecimento da graça alcançada. No Museu da gente Sergipana, também é comum encontrar exposições temporárias sobre temáticas juninas, homenageando artistas locais ou destacando a tradição popular. Qualquer que seja a temática, sempre vale a pena conferir o que acontece por lá. Além disso, o Fórum do Forró, promovido pela prefeitura de Aracaju é uma excelente opção para conhecer um pouco mais sobre as figuras mais populares na propagação das raízes nordestinas. Cada ano, um artista é escolhido para ter sua trajetória apresentada e debatida, com foco em sua contribuição para a divulgação da cultura regional por todo o Brasil. Um programa rico em cultura e animação, pois, ao final do evento, é comum haver a apresentação de artistas locais.

O barco de fogo é uma das principais atrações do São João em Estância, no interior do estado

O barco de fogo é uma das principais atrações do São João em Estância, no interior do estado

E para quem deseja se aventurar pelo interior, difícil vai ser escolher em qual lugar aproveitar os festejos. Estância, Itaporanga D’Ajuda, Areia Branca, Capela, N. Sra. do Socorro… são apenas algumas das cidades que oferecem festejos durante todo o mês. Algumas delas, em períodos específicos e com atrações bem peculiares e autênticas, como a apresentação dos barcos de fogo de Estância e a festa do mastro em Capela, que são tradições originalmente sergipanas. E seja qual foi a cidade, lembre-se que tem sempre muito mais para se conhecer além dos festejos juninos: igrejas, centros de turismo e artesanato são o carro chefe de vários desses municípios. Não será muito difícil encontrar um lugar pelo caminho para saborear as delícias da região.

O Celi Hotel Aracaju também se enfeita para receber você no clima do São João. Durante o mês de Junho, as bandeirolas dão um colorido diferente ao hotel e uma mesa de degustação com comidas e bebidas típicas fica disponível para nossos hóspedes. Além disso, você vai poder conferir a apresentação de uma quadrilha junina dentro do hotel e interagir com os quadrilheiros. Tudo feito com muito cuidado para você aproveitar o melhor do período sem sair do hotel!

O Celi Hotel já está decorado e pronto para te receber no melhor São João do país!

O Celi Hotel já está decorado e pronto para te receber no melhor São João do país!

Durante todo o mês de Junho, vamos atualizar você com as programações do que deve acontecer em todo o estado nas comemorações dos festejos juninos para que possa planejar sua viagem para Sergipe durante o período. Aproveite para vivenciar as festas em nosso estado. Aracaju é a única capital nordestina com grandes comemorações juninas, ou seja, você não vai precisar andar muito para aproveitar o melhor da festa. Com certeza, desvendar toda esta cultura vai fazer desta uma viagem inesquecível, ou, como falamos por aqui “arretada de boa”! Até breve!